A invasão da Polônia e a Guerra de Inverno

Em agosto de 1939, a Alemanha nazista e a União Soviética assinaram um tratado de não-agressão. Uma semana depois, a Alemanha invadiu a Polônia e a Segunda Guerra Mundial começou. O primeiro ataque da guerra ocorreu em 1 º de setembro de 1939, quando aviões alemães bombardearam a cidade polonesa de Wielun, matando 1.200  pessoas. Cinco minutos depois, o encouraçado alemão Schleswig-Holstein abriu fogo em uma fortificação  militar na península de Westerplatte, na Cidade Livre de Danzig. Em poucos dias, o Reino Unido e a França declararam guerra à Alemanha e começaram a mobilizar os seus exércitos, bem como preparar os civis.

Em 17 de setembro, a União Soviética invadiu a Polônia pelo leste. As forças polonesas se renderam no início de outubro, depois de perder cerca de 65 mil soldados e milhares de civis. Em novembro, as forças soviéticas invadiram a Finlândia, começando uma batalha de meses de duração chamada de Guerra de Inverno. No início de 1940, a Alemanha finalizava os planos para a invasão da Dinamarca e da Noruega. Reunidas aqui, estão imagens destes primeiros meses tumultuados e das forças aliadas se preparando para as árduas batalhas que viriam.


Vista de uma cidade polonesa a partir do cockpit de um avião bombardeiro médio alemão, provavelmente um Heinkel He 111 P, em 1939.


Em 1939, o exército polonês ainda mantinha muitos esquadrões de cavalaria que lutaram na guerra polaco-soviética em 1921. Um mito surgiu sobre a cavalaria polonesa, afirmando que os homens poloneses agiam como idiotas que galopavam em seus cavalos contra tanques de aço. Uma única vez os cavaleiros poloneses se encontraram com blindados alemães,e, é claro, recuaram. A história foi usada pela propaganda alemã e depois pela soviética para retratar os oficiais poloneses como despreocupados com as vidas de seus homens. Esta foto é de um esquadrão de cavalaria polonesa em manobras em algum lugar na Polônia, em 29 de abril de 1939.


O correspondente da Associated Press, Alvin Steinkopf , na Cidade Livre de Danzig, na época, uma cidade-estado semi-autônoma vinculada à Polônia. Steinkopf relatava a situação tensa em Danzig  para os americanos, em 11 de Julho de 1939. A  Alemanha vinha exigindo a incorporação de Danzing ao Terceiro Reich havia meses e parecia estar a preparar uma ação militar.  


O Primeiro-ministro  soviético Josef Stalin (segundo à direita), sorri, enquanto que o Ministro do Exterior soviético Vyacheslav Molotov (sentado), assina o pacto de não-agressão com o Ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Joachim von Ribbentrop (terceiro da direita), em Moscou, em 23 de agosto de 1939. O homem à esquerda é o Ministro Soviético da Defesa e vice-chefe do Estado-Maior Geral,  Boris Shaposhnikov. O pacto de não-agressão incluía um protocolo secreto dividindo a Europa Oriental em esferas de influência no caso de um conflito. O pacto dava garantias de que as tropas de Hitler não enfrentariam nenhuma resistência dos soviéticos caso  invadissem a Polônia, levando a guerra a um passo mais perto da realidade.


Dois dias depois da Alemanha assinar o pacto de não-agressão com a URSS, a Grã-Bretanha entrou em uma aliança militar com a Polônia, em 25 de agosto de 1939. Esta foto mostra uma cena de uma semana depois, em 1 º de setembro de 1939, uma das primeiras operações militares da invasão da Polônia pela Alemanha, e o início da II Guerra Mundial. Nela, o encouraçado alemão Schleswig-Holstein  bombardeia uma guarnição polonesa em Westerplatte, península na Cidade Livre de Danzig.  Ao mesmo tempo, a Força Aérea Alemã  e tropas terrestres  atacavam diversos outros alvos poloneses.


Soldados alemães entram Westerplatte no dia 7 de setembro de 1939. Menos de 200 soldados poloneses defenderam a pequena península, adiando a  entrada dos alemães por sete dias.


Vista aérea de  um bombardeio alemão na Polônia, em setembro de 1939.


Dois tanques da 1ª Divisão SS Leibstandarte SS Adolf Hitler  atravessam o rio Bzura durante a invasão alemã da Polônia, em setembro de 1939. A Batalha de Bzura, a maior de toda a campanha, durou mais de uma semana  e terminou com as forças alemãs capturando a maior parte oeste da Polônia.


Soldados da 1ª Divisão SS Leibstandarte SS Adolf Hitler, descansam em uma vala ao lado de uma estrada no caminho para Pabianice, durante a invasão da Polônia em 1939.


Kazimiera Mika, de 10 anos,  chora sobre o corpo de sua irmã, morta por tiros de uma metralhadora alemã ao colher  batatas em um campo fora de Varsóvia, na Polônia, em setembro de 1939.


Sentinelas avançadas e patrulheiros alemães são mostrados em uma cidade polonesa que havia estado sob fogo durante a invasão nazista da Polônia, em setembro de 1939.


A infantaria alemã avança cautelosamente, nos arredores de Varsóvia, na Polônia, em 16 de setembro de 1939.


Vários prisioneiros de guerra civis, com os braços levantados, caminham ao longo de uma estrada durante a invasão alemã da Polônia, em setembro de 1939.


O Rei Jorge VI fala à nação britânica na primeira noite da guerra, em 3 de setembro de 1939, em Londres.


Um conflito que iria acabar com o lançamento de duas bombas nucleares começou com uma proclamação lida em voz alta por um pregoeiro. Atuando como Pregoeiro  da Cidade de Londres, W.T Boston lê a proclamação de guerra na escada do Royal Exchange, em Londres, em 4 de setembro de 1939.


Uma multidão lê as manchetes dos jornais: "Chuva de bombas em Varsóvia", em  frente do prédio do Departamento de Estado dos EUA, onde os diplomatas realizavam uma conferência sobre as condições da guerra na Europa, em 1 de Setembro de 1939.


Em 17 de setembro de 1939, o porta-aviões britânico HMS Courageous foi atingido por torpedos do submarino alemão U-29 e afundou em 20 minutos. O Courageous  patrulhava  ao largo da costa da Irlanda, foi monitorado por horas pelo U-29, que lançou três torpedos quando teve a chance ideal. Dois dos torpedos atingiram o navio a bombordo, afundando-o e ceifando a vida de 518 de seus 1.259 tripulantes.


A devastação vista na Rua Ordynacka, em Varsóvia, na Polônia, em 6 de março de 1940. A carcaça de um cavalo apodrece entre os escombros. Varsóvia esteve sob bombardeio  constante durante a invasão. Em apenas um dia: 25 de setembro de 1939, cerca de 1.150 missões de bombardeio foram feitas por aviões alemães contra a capital polonesa, despejando mais de 550 toneladas  de bombas explosivas e incendiárias sobre a cidade.


Tropas alemãs marchando para  Bromberg (o nome alemão para a cidade polonesa de Bydgoszcz) encontram  centenas de cidadãos alemães mortos por franco-atiradores poloneses, em 8 de setembro de 1939.


Um  trem blindado polonês é capturado pela 14ª Divisão SS Leibstandarte SS Adolf Hitler, perto de  Blonie, durante a invasão da Polônia, em setembro de 1939.


Soldados alemães feitos prisioneiros pelo exército polonês durante a invasão nazista, são mostrados em seu  cativeiro em Varsóvia, em 2 de Outubro de 1939.


Um menino polonês  retorna ao que era a sua casa  durante uma pausa nos ataques aéreos alemães em Varsóvia, Polônia, em setembro de 1939. Os ataques alemães duraram até Varsóvia render-se em 28 de setembro. Uma semana depois, o último foco de resistência polonesa capitulou perto de Lublin, dando o controle total da Polônia para a Alemanha e para a União Soviética.


Adolf Hitler saúda as tropas da Wehrmacht alemã enquanto elas desfilam em Varsóvia, Polônia, em 05 de outubro de 1939, após a invasão alemã. Atrás de Hitler estão, da esquerda para a direita: o coronel-general Walther von Brauchitsch, o tenente-general Friedrich von Cochenhausen, o coronel-general Gerd von Rundstedt e o coronel-general Wilhelm Keitel.


No início de 1939, o Exército Imperial e a Marinha japonesa continuaram avançando sobre a  China e a Mongólia. Aqui, soldados japoneses são vistos na praia, após o desembarque em Swatow (Shantou), um dos portos do Sul da China ainda sob controle chinês na época, em 10 de Julho de 1939. Depois de um breve combate com os defensores chineses, os japoneses entraram na cidade sem encontrar maior resistência.


Na fronteira da Mongólia, tanques japoneses avançam através das vastas planícies da estepe mongol-manchu, em 21 de julho de 1939. As tropas de Manchukuo foram reforçadas pelos japoneses quando a guerra de fronteira com as forças soviéticas inflamou-se de repente no setor. 


Uma unidade  japonesa avança cautelosamente, passando por dois blindados soviéticos abandonados,  ao longo da fronteira da Mongólia, em julho de 1939.  


No outono de 1939, após o ataque alemão na Polônia, a União Soviética  exigiu que a Finlândia concordasse em mover a fronteira em 25 km para além de Leningrado, que nesta altura estava apenas a 32 quilômetros. Também exigiu que a Finlândia emprestasse a Península de Hanko à União Soviética por 30 anos, para a criação de uma base naval. Em troca, a União Soviética oferecia uma grande parte da Carélia (duas vezes tão grande, mas menos desenvolvida). Porém, o governo finlandês recusou-se a ceder às exigências soviéticas, então,  a URSS invadiu a Finlândia. 450.000 soldados soviéticos cruzaram a fronteira, iniciando uma brutal batalha no gelo que seria chamada de  Guerra de Inverno. Nesta imagem, um membro do destacamento anti-aéreo finlandês, vestindo seu uniforme de camuflagem branca, manuseia uma câmera telemétrica, em 28 de dezembro de 1939, durante um ataque aéreo russo.


A casa queima furiosamente, depois de ter sido atingida por  bombas soviéticas durante um ataque aéreo em Turku, cidade portuária no sudoeste da Finlândia, em 27 de dezembro de 1939. 


Em um bosque congelado, na frente de batalha "em algum lugar na Finlândia," soldados finlandeses  correm  para se abrigar de um ataque aéreo soviético, em 19 de janeiro de 1940.


Soldados finlandeses, membros de um dos batalhões de esqui que lutaram contra a invasão das tropas russas, marcham com suas renas, em 28 de março de 1940 ( esta foto mostra evidências de ter sido retocada, provavelmente, no esforço para aumentar a nitidez e contraste). 


Despojos de guerra - tanques e caminhões soviéticos -  ao longo da estrada em uma floresta coberta de neve, em 17 de Janeiro de 1940.


Um voluntário sueco, "em algum lugar no norte da Finlândia," se protege do frio ártico com uma máscara sobre seu rosto, em 20 de fevereiro de 1940, quando em serviço contra os invasores russos.


O inverno de 1939-1940 na Finlândia foi extremamente rigoroso. Em janeiro, as temperaturas caíram abaixo de -40º em alguns lugares. O congelamento era uma ameaça constante; cadáveres de soldados mortos em batalha congelavam, muitas vezes em estranhas poses. Esta foto de 31 de janeiro de 1940, mostra um soldado russo morto e congelado, com o rosto, as mãos e roupas cobertas de neve. Após 105 dias de combates, finlandeses e russos assinaram um tratado de paz: a Finlândia manteve sua soberania, contudo, teve que ceder onze por cento  do seu território para os soviéticos.


O  couraçado alemão Admiral Graf Spee, em chamas, ao largo de Montevidéu, Uruguai, em 19 de dezembro de 1939. Após afundar nove navios mercantes, o Graf Spee resolveu tentar uma última investida, próximo à bacia do rio da Prata, mas, em vez de navios mercantes, deparou-se com três cruzadores britânicos. Após um combate confuso, em que o Graf Spee foi danificado, o comandante Hans Langsdorff ordenou que o navio buscasse refúgio no porto de Montevidéu, no Uruguai. Na capital uruguaia, Langsdorff foi intimado pelo governo local a deixar o porto, porém, os três navios ingleses aguardavam o Graf Spee para um combate final. Em inferioridade numérica, com o navio danificado e com ordens de Adolf Hitler de não o deixar ser capturado pelos ingleses, Langsdorff desembarcou sua tripulação e fez com que o couraçado fosse pelos ares, afundando-o completamente.


Aviões  de caça americanos,  Curtiss P-40 Warhawk, sendo fabricados, provavelmente em Buffalo, Nova York, 1939.


Com as  forças alemãs  concentradas  na Polônia, a ansiedade crescia na Frente Ocidental,  tropas francesas reforçadas por soldados britânicos aguardavam o inimigo  ao longo da fronteira com a Alemanha. Aqui, soldados franceses fazem pose para a foto, na França, em 18 de dezembro de 1939.


Milhares de parisienses reunidos na  Basílica do Sagrado Coração, na colina de Montmartre, para assistir a um serviço religioso e rezar pela paz. França, em 27 de agosto de 1939. 


Membros  do exército francês testam um dispositivo localizador acústico, em 4 de janeiro de 1940. O aparelho era um, dos muitos projetos experimentais, construídos para captar o som de motores de aeronaves distantes e dar a sua distância e localização. A introdução e adoção da tecnologia de radar, tornaram  estes dispositivos obsoletos rapidamente.


Um grupo de correspondentes de guerra na Frente Ocidental, no topo de uma das grandes fortalezas em algum lugar da Linha Maginot, na França, em 19 de outubro de 1939, com um guia do exército francês apontando-lhes a "terra de ninguém",  que separava os franceses e as tropas alemãs.


Tropas britânicas embarcam no trem para a primeira etapa da  viagem, cujo destino  é a Frente Ocidental, em algum lugar na Inglaterra, em 20 de setembro de 1939.


A Ponte de Westminster e o Parlamento inglês, envoltos em trevas após um grande blecaute começar, em 11 de agosto de 1939. Este apagão foi a primeira providência realizada pelo Ministério do Interior da Inglaterra em preparação para possíveis ataques aéreos alemães.


Esta cena passou-se em Holborn Town Hall, em Londres, na Inglaterra. Funcionários do governo e mães testavam as reações dos bebês a um respirador projetado para protegê-los contra  gases venenosos, em 3 de março de 1939. Vários bebês, todos com idade inferior a dois anos, foram equipados com os "capacetes de bebê." 


Adolf Hitler consulta um mapa de levantamento geográfico com sua equipe, incluindo Heinrich Himmler (esquerda) e Martin Bormann (à direita), em um local secreto em 1939.


Sexta-feira, 30 outubro de 2008, um homem olha para a fotografia de Johann Georg Elser, em um monumento em Freiburg, na Alemanha. Elser, um cidadão alemão, tentou assassinar Adolf Hitler com uma bomba,  na cervejaria "Buergerbraukeller", em Munique, em 8 de novembro de 1939. Hitler terminou seu discurso inicial, escapando da explosão cronometrada por apenas 13 minutos. Oito pessoas morreram, 63 ficaram feridas, Elser foi capturado e preso. Pouco antes do fim da II Guerra Mundial, ele foi executado no campo de concentração nazista em Dachau.

A história da Segunda Guerra em Fotos,  será uma série  de 20 postagens com mais de 800 fotografias distribuídas em  temas seguindo a cronologia do conflito. Se você gosta de história, em particular da história da Segunda Guerra Mundial, aconselho  que assine a nossa Newsletter ou curta nossa página no Facebook, para  não perder nenhum episódio. O próximo terá como tema: As Invasões do Eixo e a Queda da França. Não perca!

A invasão da Polônia e a Guerra de Inverno A invasão da Polônia e a Guerra de Inverno Reviewed by Bento Santiago on maio 07, 2013 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.