Os crânios alongados do povo Mangbetu

As pessoas da etnia mangbetu tinham uma aparência distinta,  e isso em grande parte, devido às suas cabeças alongadas. Assim que nasciam, os bebês mangbetu tinham as cabeças fortemente envolvidas com um pano, a fim de dar um olhar alongado aos futuros chefes. O costume de alongamento do crânio chamado pelos nativos de lipombo era um símbolo de status entre as classes dirigentes do povo mangbetu, tal aparência significava majestade, beleza, poder e inteligência superior. A deformação começava geralmente apenas um mês após o nascimento  e seguia por cerca de dois anos, até que a forma desejada fosse atingida ou a criança rejeitasse o procedimento.

A prática começou a desaparecer na década de 1950 com a chegada de mais europeus e por consequência, a ocidentalização dos costumes locais. Ela também foi proibida pelo governo belga, que governou o Congo durante a era colonial do país africano.

povo mangbetu

As pessoas da etnia mangbetu vivem na África Central, no nordeste do Congo. O nome mangbetu refere-se, a rigor, apenas à aristocracia, que no século 19, estabeleceu uma série de reinos poderosos; no uso mais flexível da palavra, ela engloba toda a amálgama de pessoas governada pela citada elite. Os mangbetus subsistem com o cultivo da terra, com um pouco de pesca, caça e coleta. O dote da noivas mangbetus inclui um presente substancial de gado. A união polígama é aceita na cultura desse povo. A organização das famílias é patrilinear. Os mangbetus impressionaram os primeiros viajantes com as suas instituições políticas e suas artes, especialmente a sua habilidade notável como construtores, ceramistas e escultores. Eles se tornaram famosos também pelo seu suposto canibalismo e, é claro, pela prática de deformar a cabeça dos bebês.

povo_mangbetu_1


povo mangbetu_
Um penteado característico era usado para enfatizar as cabeças artificialmente alongadas.


chefe_mangbetu

Magpetu_vona

O mangbetus são conhecidos por sua arte e música altamente desenvolvidas, tanto que musicólogos os tem procurado  para fazer gravações de vídeo e áudio da música deles.

A deformação craniana geralmente não afeta o cérebro. A pressão intracraniana permanece a mesma que a de uma pessoa normal e o cérebro é capaz de adaptar-se e crescer na nova forma do crânio, sem nenhum dano para além das alterações estéticas.

O registro mais antigo de deformação craniana data de 400 a.C, na descrição que Hipócrates faz dos macrocéfalos, ou cabeças-longas, assim nomeados por causa da prática de modificação craniana.

Os crânios alongados do povo Mangbetu Os crânios alongados do povo Mangbetu Reviewed by Bento Santiago on setembro 01, 2016 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.